Clique num item para expandir o seu conteúdo

  1. A TRANSPORTUGAL é uma prova de aventura, aberta à participação de qualquer pessoa com mais de 18 anos de idade, de qualquer sexo ou nacionalidade, disputada por 8 etapas, com uma extensão total de cerca de 1000 km, num percurso em linha que atravessa Portugal de Norte a Sul.
  2. Não existem escalões ou classes, e todos os Concorrentes competem numa única categoria.
  3. A prova é disputada em simultâneo por todos os Concorrentes, os quais competem entre si, sendo o objetivo a realização da prova no menor tempo possível.
  4. A prova consiste na realização de um percurso previamente determinado pela Organização, sem recurso a qualquer meio motorizado de locomoção.
  5. A prova é ganha pelo Concorrente que cumprir o percurso no menor tempo total acumulado, somadas as eventuais penalizações e deduzidas as eventuais bonificações.
  6. A prova tem a duração de 9 dias, sendo o primeiro (dia zero) destinado à acreditação e os restantes 8 destinados à competição.
  7. A entidade organizadora da prova é a CICLONATUR DESPORTOS, LDA., titular do NIF/NIPC 502837861, e sede na Av. Reinaldo dos Santos 24, 2675-693 Odivelas (adiante designada Organização).
  1. As inscrições na prova TRANSPORTUGAL estão limitadas ao número vagas disponíveis para cada edição, o qual é determinado pela Organização.
  2. As inscrições abrem no dia 1 de agosto do ano precedente ao da respetiva edição, com a disponibilização da ficha de inscrição no site da prova (www.trans-portugal.com), e encerram no dia 15 de abril do ano em que a prova se realiza.
  3. O Interessado solicita a sua inscrição através do preenchimento da ficha referida no número precedente.
  4. Em seguida, é contactado via e-mail pela Organização, que o informa sobre se a solicitação de inscrição foi validada.
  5. Tendo a solicitação de inscrição sido validada, o Interessado deve proceder aos pagamentos indicados pela Organização, designadamente segundo as regras previstas n.os 12, 13 e 14 infra.
  6. Sendo realizados os referidos pagamentos, a Organização aprova a solicitação de inscrição e comunica esse facto ao Interessado.
  7. Uma inscrição só se considera completa e produz os seus efeitos após a solicitação de inscrição ter sido validada e aprovada pela Organização.
  8. Antes da realização de qualquer pagamento por parte do Interessado, a Organização tem o direito de recusar a solicitação de inscrição, sem, para esse efeito, necessitar de fundamentar a sua decisão.
  9. O preço da inscrição é o indicado no site da prova e depende do(s) pack(s) de serviços que o Interessado pretenda adquirir.
  10. Quem realizar a respetiva solicitação de inscrição após terem sido preenchidas as vagas disponíveis para a edição pretendida é contactado pela Organização, que o informa sobre a circunstância de a prova se encontrar lotada e das condições que deve preencher para ser incluído na lista de espera.
  11. Abrindo uma vaga (independentemente da razão), o primeiro atleta na lista de espera é contactado, via e-mail, para preenchê-la, tendo 2 dias úteis para confirmar a aceitação da mesma. Se, dentro deste prazo, recusar a vaga ou se terminado este prazo não se pronunciar, é convidado a aceitá-la o membro da lista que se encontrar na posição seguinte, e assim sucessivamente.
  12. Sem prejuízo das regras previstas nos n.os 13 e 14 deste artigo, a solicitação da inscrição só é aprovada depois de realizado o pagamento de, pelo menos, 50% do valor total dos packs contratados. O referido pagamento tem de ser recebido pela Organização até ao quinto dia útil contado da data de inscrição.
  13. Todas as inscrições solicitadas antes do ano em que a prova se realiza têm de ser integralmente pagas até dia 31 de janeiro do ano em que a prova se realiza.
  14. As inscrições solicitadas entre janeiro e abril do ano em que a prova se realiza têm de estar integralmente pagas até dois dias úteis após a validação da solicitação de inscrição.
  15. O incumprimento das regras de pagamento constantes dos números precedentes determina a não-aprovação da solicitação de inscrição em causa ou, caso a mesma já tenha sido aprovada, a revogação dessa aprovação, com fundamento no incumprimento do Regulamento imputável ao Concorrente.
  16. Sendo a aprovação revogada, o Interessado é reembolsado do montante entretanto pago deduzido de uma quantia equivalente a 15% do valor total da inscrição.
  17. A Organização pode, a qualquer tempo, revogar a aprovação de uma solicitação de inscrição com fundamento na violação, por parte do Concorrente, das regras do presente Regulamento ou de princípios éticos desportivos fundamentais.
  1. As desistências que ocorram antes do início da prova devem ser comunicadas à Organização por e-mail.
  2. A desistência deve ser comunicada à Organização até 60 dias antes do início da prova. Neste caso, o Concorrente pode optar por uma de duas das seguintes alternativas:
    1. Reembolso parcial da quantia entretanto entregue, sendo que:
      1. Se a vaga aberta em resultado da desistência for preenchida, o Concorrente tem direito a ser reembolsado do montante entretanto pago deduzido de uma quantia equivalente a 15% do valor total dos packs contratados.
      2. Se a vaga aberta em resultado da desistência não for preenchida, o Concorrente tem direito a ser reembolsado do montante entretanto pago deduzido de uma quantia equivalente a 50% dos packs contratados.
      3. O momento em que se determina se a vaga foi, ou não, preenchida corresponde àquele em que o Concorrente exige que seja realizado o reembolso.
    2. Solicitar a inscrição na edição do ano seguinte e a afetação parcial da quantia entretanto entregue ao pagamento dessa inscrição, sendo que:
      1. O Concorrente fica titular de uma vaga reservada para a edição do ano subsequente.
      2. A Organização afeta ao pagamento da inscrição na edição do ano subsequente 85% da quantia entretanto entregue, sendo os 15% restantes retidos para pagamento de despesas administrativas e logísticas já realizadas tendo em vista a participação do Concorrente no ano corrente.
      3. O Concorrente deve confirmar a sua inscrição até 10 dias após o início das inscrições para a prova no ano subsequente. Se o não fizer, perde o direito a qualquer reembolso ou à faculdade de solicitar a afetação dessa quantia ao pagamento de inscrições em edições de anos posteriores.
  3. No ato em que comunica a desistência, o Concorrente deve declarar a sua opção por uma das alternativas referidas no número precedente. Caso esta declaração não seja realizada, considera-se escolhida a segunda alternativa [indicada em b)].
  4. Se a desistência for comunicada apenas depois do prazo limite referido no n.º 2 do presente artigo, o desistente não tem direito a qualquer reembolso nem a solicitar a transferência da sua inscrição para o ano seguinte, independentemente de a vaga aberta vir ou não a ser preenchida.
  1. O percurso da TRANSPORTUGAL é composto, em cerca de 62% da sua extensão, por caminhos, trilhos e estradas florestais não asfaltadas.
  2. O percurso da prova não está marcado no terreno, utiliza vias públicas, quer seja em estrada ou fora de estrada, atravessa aldeias e vilas, e utiliza serventias que atravessam propriedades privadas.
  3. O percurso não está fechado para a prova. Por conseguinte, os Concorrentes devem ter em consideração a possibilidade de haver viaturas, pessoas e/ou animais a circular num e noutro sentido, no percurso da prova.
  4. Nos locais do percurso onde existam portões ou cancelas, os Concorrentes têm de abri-los e fechá-los para passar, devendo deixá-los tal como os encontraram, sendo que a não observância desta regra é punida com a exclusão da prova.
  5. É obrigatório cumprir o percurso da prova, estando previstas sanções para quem o não cumpra.
  6. Considera-se o percurso da prova um corredor imaginário com 100 metros de largura, contendo a linha GPS (track) do percurso da prova. As sanções aplicáveis correspondem à adição de 10 minutos ao tempo efetivamente gasto pelo Concorrente na etapa, por cada quilómetro do percurso não cumprido. Para este efeito, por qualquer fração de quilómetro incumprida é considerada um quilómetro inteiro.
  7. Antes do início da prova a Organização faz o carregamento dos aparelhos de GPS dos Concorrentes com um mapa do percurso da prova desenhado como uma estrada designada ‘TP’.
  8. O GPS é o único meio de orientação de que os Concorrentes dispõem para seguir o percurso da prova.
  9. Os Concorrentes são os únicos responsáveis pelo bom funcionamento do respetivo GPS, pela preservação dos dados nele carregados pela Organização, e, sobretudo, por garantirem que o GPS está sempre com eles e a registar todo o percurso efetuado.
  10. Salvo nos casos em que a Organização indicar o contrário, dentro das povoações, não é obrigatório cumprir o percurso da prova. Considera-se que um registo está dentro de uma povoação sempre que a linha traçada se encontra dentro, ou na periferia da zona urbana que no mapa topográfico fornecido pela Organização é representada como uma mancha de cor “rosa”.
  11. Salvo nos casos em que a Organização indicar o contrário, os Concorrentes devem circular sempre pelas estradas, caminhos ou trilhos existentes.
  12. A linha no GPS com o percurso da prova pode conter falhas de continuidade; nestes casos consideram-se boas todas as opções tomadas pelos Concorrentes entre os pontos limites da linha interrompida.
  13. A linha no GPS com o percurso da prova pode apresentar desvios relativamente ao caminho marcado no terreno, pelo que os Concorrentes devem seguir o caminho marcado no terreno mesmo que isso não corresponda exatamente à linha no GPS, desde que os desvios não impliquem extravasar o corredor de 100 metros referido no n.º 6 precedente.
  14. O percurso da prova atravessa muitas estradas e cruza-as na perpendicular, o que constitui um perigo acrescido para os Concorrentes, quer pela falta de visibilidade, quer pela velocidade dos veículos que nelas circulam, pelo que é obrigatória a paragem durante, pelo menos 5 segundos, em todos os cruzamentos identificados pela Organização e incluídos nos dados carregados no GPS do Concorrente sendo por este visualizados com um símbolo e/ou a palavra ‘STOP’.
  15. O cumprimento da obrigação de segurança prevista no número anterior é escrutinado no final da etapa, através da análise do registo efetuado pelos aparelhos de GPS dos Concorrentes, e é aplicada uma penalização de 30 minutos por cada vez que não tenha sido observada.
  16. Um Concorrente que incumpra a regra de segurança referida nos números anteriores, mais que 3 vezes durante a prova é excluído da prova.
  17. Um Concorrente pode abandonar o percurso da prova sempre que quiser não sofrendo qualquer penalização, sempre que volte a ele no mesmo ponto que o abandonou ou num ponto precedente àquele.
  1. A Organização realiza o transporte dos Concorrentes, bem como da respetiva bagagem, de Lisboa até ao local em que a prova se inicia, e desde o local em que a prova termina até Lisboa. A bagagem de cada Concorrente deve restringir-se a duas malas: uma para a bicicleta e outra para os restantes bens pessoais.
  2. No dia zero da prova, é entregue ao Concorrente um saco, com capacidade até 80L, no qual deve colocar todos os bens pessoais de que necessite durante a prova.
  3. A Organização faz o transporte do aludido saco entre as várias etapas.
  4. Durante a prova, o Concorrente apenas tem acesso ao saco entregue pela Organização.
  5. Os bens pessoais que não forem colocados dentro do mencionado saco permanecem na mala original do Concorrente, a qual é colocada dentro de um camião selado. Esta mala é entregue aos Concorrentes, logo após a última etapa.
  6. O Concorrente só tem acesso aos seus bens pessoais guardados no camião da prova, em caso de desistência.
  1. A prova é disputada em regime de autossuficiência total, não podendo o Concorrente beneficiar de qualquer ajuda exterior durante as etapas, sob pena de ser excluído da prova.
  2. Para efeitos do número anterior, considera-se ajuda exterior toda e qualquer ação pré-programada de providenciar ajuda sob qualquer forma física a um Concorrente, quer este a solicite ou não.
  3. Excetua-se ao disposto nos números anteriores, a ajuda prestada pela Organização, quando os Concorrentes a solicitem, estando neste caso prevista uma penalização de uma hora, sem prejuízo de situações de emergência médica.
  4. São lícitas as ações de auxílio aos atletas, realizadas por decisão da Organização, pré-programadas ou não.
  5. É lícita a ajuda, solicitada ou não pelos Concorrentes em prova, no âmbito da orientação no terreno e operacionalidade dos aparelhos GPS, com exceção do fornecimento de pilhas para o GPS, para o qual está prevista uma penalização de 15 minutos.
  6. É admissível o auxílio entre Concorrentes, enquanto estes se encontrem a realizar a prova.
  7. Não configura uma violação ao preceituado no número um a circunstância de um Concorrente, durante a prova, se abastecer de forma autónoma e não previamente planeada, do que quer que seja em estabelecimentos privados ou públicos.
  1. É obrigatório o uso de telemóvel por parte dos Concorrentes, desde o início da etapa até à sua conclusão.
  2. A falta ou inoperacionalidade do telemóvel, durante o período previsto no número anterior, dá lugar a uma penalização de 1 hora, por cada vez que se verifique a falha.
  1. É obrigatório o uso de capacete compatível com o meio de locomoção utilizado pelo atleta, sempre que este não se desloque a pé, sob pena de ser excluído da prova.
  2. A utilização de grafismos ou outras formas de expressão visual de caráter obsceno no equipamento dos Concorrentes é punida nos mesmos termos do número anterior.
  1. Os Concorrentes são obrigados a utilizar uma placa com o respetivo número de prova, a qual deve ser colocada, bem visível, na parte da frente do meio de locomoção utilizado, sob pena de aplicação de uma penalização de 30 minutos, por cada vez que se registar a ocorrência da infração.
  2. Ao Concorrente que se apresente num Controlo de Passagem (CP) sem a placa, ou de forma a que os dados nela inscritos não sejam percetíveis, é-lhe aplicada a sanção correspondente à não passagem nesse Controlo de Passagem como previsto no artigo 13.2.
  3. As placas, além de permitirem a identificação do atleta, contêm publicidade alusiva aos principais patrocinadores da prova, e em caso algum podem ser utilizadas para outros fins. Qualquer alteração ao tamanho das placas tem de ser previamente autorizada pela Organização, sob pena de exclusão da prova.
  1. As desigualdades naturais de capacidade física entre os vários Concorrentes (decorrentes da idade e do género) são corrigidas através, da antecipação cronológica da partida de alguns Concorrentes em relação aos demais, nas várias etapas.
  2. O quantum da antecipação é uma percentagem do tempo de duração atribuído pela Organização à etapa em causa, nos termos do Programa Geral da Prova.
  3. As percentagens são:
    1. Participantes do sexo feminino - 14%; e,
    2. Participantes com mais de 40 anos de idade:
      1. =>41 =<45 - 2%
      2. =>46 =<50 - 5%
      3. =>51 =<55 - 9%
      4. =>56 =<60 - 14%
      5. =>61 =<65 - 19%
      6. =>66 =<69 - 24%
      7. =>70 - 30%
  4. Se aplicável, as percentagens indicadas no número anterior são cumulativas.
  5. O Concorrente que beneficie de um handicap, inicia a etapa antes da Hora Oficial de Partida, sendo a medida da antecedência determinada nos termos do n.º 3 supra.
  1. A Hora Oficial de Partida é a hora de partida dos Concorrentes que não beneficiem de um handicap.
  2. A Hora Oficial de Partida consta do Programa Geral da Prova, e corresponde à hora do GPS para o fuso horário da Europa Ocidental (Londres, Lisboa).
  3. O Controlo da Hora de Partida (identificado como ‘CHP’) encerra 15 minutos depois da Hora Oficial de Partida.
  4. Todos os Concorrentes, beneficiem ou não de um handicap, podem partir até 15 minutos depois da Hora Oficial de Partida.
  5. Não é validada a etapa do Concorrente que partir depois do encerramento do CHP. Para todos os efeitos a Organização considera neste caso que o Concorrente não se encontra em prova, declinando toda e qualquer responsabilidade numa eventual ocorrência em que este esteja envolvido.
  1. A localização do Controlo Horário de Chegada (CHC) é previamente informada aos Concorrentes, nomeadamente através de indicação das coordenadas geográficas ou da sinalização em mapa da prova, previamente carregado pela Organização e visível no ecrã dos aparelhos de GPS.
  2. O Concorrente termina uma etapa quando cruza a respetiva Linha de Meta, e é este o momento relevante para efeitos do apuramento do tempo realizado.
  3. A Linha de Meta é identificada fisicamente com uma linha no solo, placa ou lona aérea com a palavra ‘META’.
  4. O CHC fecha à hora prevista no Programa Geral da Prova, a qual corresponde ao produto de 1,75 pelo melhor tempo da etapa (record da etapa) obtido em anteriores edições da prova, ou pelo tempo atribuído pela Organização para essa mesma etapa, sem prejuízo do disposto no número 6.
  5. Se o primeiro Concorrente a cortar a Linha de Meta ultrapassar o tempo record ou o tempo atribuído à etapa, a hora de fecho do CHC é proporcionalmente estendida de acordo com o mesmo fator de multiplicação (1,75), sem prejuízo do disposto no número 6.
  6. Por razões de segurança, se o tempo de fecho da etapa, determinado de acordo com os números 4 e 5 acima, for depois da hora do por do sol, a hora de fecho do CHC será antecipada para a hora do por do sol.
  7. Se o Concorrente terminar a etapa depois da hora de fecho do CHC, nos termos dos números anteriores, a respetiva etapa não é validada.
  8. À chegada de cada etapa, a todos os Concorrentes é pedido que entreguem o seu GPS à Organização, para que esta possa a partir daqueles aferir o percurso efetuado e verificar do cumprimento do percurso estabelecido para a respetiva etapa.
  9. Ao Concorrente que não entregar o seu GPS é-lhe atribuído o tempo máximo previsto no Programa Geral de Prova para a respetiva etapa, acrescido das eventuais penalizações na etapa.
  10. Se o GPS não contiver o registo do percurso efetuado pelo atleta, é-lhe aplicada a consequência prevista no número anterior.
  11. Junto à Linha de Meta de cada etapa, a Organização instala uma estrutura de apoio para fornecer gratuitamente aos atletas bebidas, frutas e snacks.
  1. A Organização instala ao longo do percurso Controlos de Passagem (CP), que podem ou não estar identificados.
  2. A falta de passagem por um CP implica uma penalização de 60 minutos.
  3. Os CP podem ser monitorizados por elementos da Organização. Neste caso, o responsável pelo posto de controlo anota a passagem dos Concorrentes, através do registo do número de prova do atleta, bem como a hora, minuto e segundo da passagem.
  4. As localizações dos CP identificados são dadas a conhecer previamente aos participantes, nomeadamente através de indicação das coordenadas geográficas ou sinalização em mapa da prova, previamente carregado pela Organização e visível no ecrã dos GPS.
  5. Alguns CP têm hora de fecho previsto, a qual é comunicada a todos os Concorrentes no dia anterior a cada etapa. A hora de fecho é atualizada, nos termos do n.º 5 do artigo anterior.
  6. Todos os Concorrentes que cheguem a um CP depois da sua hora de fecho atualizada são obrigados a interromper a respetiva etapa, e são transportados para o final da mesma pela Organização ou recebem indicações sobre como lá chegar em segurança. Consequentemente, a etapa em causa não é validada.
  7. Salvo indicação em contrário da Organização, ou se sinalizados com ‘STOP’, os Concorrentes não são obrigados a parar ou abrandar quando passam nos CP.
  1. Para estimular a componente competitiva da prova, podem ser estabelecidas partes intermédias de etapas (troços), especialmente cronometradas e objeto de uma Classificação Intercalar.
  2. Os troços são conhecidos pelos atletas à partida para a etapa a que dizem respeito, e a escolha daqueles varia tendo em conta o tipo de piso, inclinação e relevo, de modo a responder às diferentes aptidões dos atletas em competição.
  3. A Classificação Intercalar confere aos 10 primeiros atletas a terminar o troço cronometrado bonificações em tempo a deduzir ao Tempo Final obtido na prova, nos termos do número 5, e de acordo com a seguinte tabela:
    1. 1.º classificado – 5’
    2. 2.º classificado – 3'
    3. 3.º classificado – 2’
    4. 4.º classificado – 90’’
    5. 5.º classificado – 1’
    6. 6.º classificado – 50’’
    7. 7.º classificado – 40’’
    8. 8.º classificado – 30’’
    9. 9.º classificado – 20’’
    10. 10.º classificado – 10’’
  4. As Classificações Intercalares são apuradas tendo em conta a existência de handicaps.
  5. A Classificação da Etapa não tem em conta estas bonificações, sendo estas refletidas na Classificação Geral.
  1. Para segurança dos Concorrentes, a Organização entregar-lhes dispositivos de monitorização do seu posicionamento geográfico, os trackers.
  2. Os dispositivos referidos no número anterior apresentam dimensões reduzidas (inferior a um telemóvel) e são transportados pelos Concorrentes em local indicado pela Organização, de modo a salvaguardar o bom funcionamento dos mesmos.
  3. Os danos que o tracker apresente, aquando da sua devolução à Organização, ou o seu desaparecimento presumem-se imputáveis ao Concorrente que o transportava.
  4. A não devolução do mesmo, ou a devolução do aparelho danificado no final da prova obriga o Concorrente que o transportava ao pagamento da sua reparação ou substituição, cujo valor pode ascender a 180,00€ (cento e oitenta euros).
  5. Ao Concorrente que se recuse a transportar o tracker ou a não transportá-lo no local indicado pela Organização, é-lhe anulada a etapa.
  1. O Concorrente que pretenda desistir de uma etapa tem de informar de imediato a Organização, em qualquer posto de controlo ou contactando telefonicamente o Gabinete do Coordenador, recorrendo para tal ao cartão com os contactos de emergência, distribuído a todos os Concorrentes antes do início da prova.
  2. Na falta de informação sobre a localização do Concorrente, a Organização pode despoletar uma operação de busca e resgate, cujos custos, se os houver, são cobrados ao Concorrente que negligente ou dolosamente não comunicou a sua desistência.
  3. Se um Concorrente desistir ou não conseguir validar três etapas, a Organização impede-o de realizar as etapas seguintes. Neste caso, se o atleta pretender acompanhar a Organização até ao final da prova, pode ter de suportar custos extras de transporte ao longo das restantes etapas, se os houver, sendo esta decisão tomada casuisticamente pela Organização.

{slider=Artigo 17.º(Desistência da Prova)}

  1. O Concorrente pode, em qualquer altura, desistir da prova.
  2. O Concorrente não é reembolsado do preço pago por qualquer bem ou serviço de que não usufrua, em virtude da desistência da prova.
  3. Sem prejuízo do estabelecido no número anterior, se o atleta pretender acompanhar a Organização até ao final da prova, pode ter de suportar custos extras de transporte ao longo das etapas, se os houver, sendo esta decisão avaliada casuisticamente pela Organização.
  1. Os Concorrentes podem contratar, no ato da inscrição, um de dois serviços suplementares : 
    • “PACK BIKE DLUX", o qual consiste numa lavagem diária, secagem, lubrificação e toda a manutenção que eventualmente seja necessária durante a prova;
    • “PACK WASH DLUX”, o qual consiste apenas numa lavagem diária, secagem e lubrificação da bicicleta.
  2. As intervenções técnicas solicitadas à Organização por Concorrentes que não tenham contratado o pacote “PACK BIKE DLUX” estão sujeitas à disponibilidade dos serviços técnicos e importam a cobrança, a título de mão-de-obra, de um valor/hora a definir pela Organização.
  3. Os valores do “PACK BIKE DLUX” e do “PACK WASH DLUX” estão definidos na página Taxas de Inscrição.
  4. Em qualquer caso, os Concorrentes têm de pagar as peças ou acessórios que venham a ser utilizados nas reparações.
  1. A Organização providencia a existência de uma equipa de profissionais de massagens à chegada de cada etapa.
  2. No ato de inscrição, o Concorrente interessado neste serviço pode contratar um “PACK MASSAGENS”, o qual consiste na realização de uma massagem diária, após cada uma das primeiras 7 etapas.
  3. Os valores do "PACK MASSAGENS"estão definidos na página Taxas de Inscrição.
  4. A contratação de massagens durante a prova é feita à chegada de cada etapa, ficando sujeita à disponibilidade da equipa de massagistas, e tem o preço unitário de 40,00€.
  5. Cada sessão de massagem tem a duração de 25 minutos.
  1. O preço de inscrição inclui o alojamento do Concorrente durante a prova em quarto partilhado.
  2. A atribuição de companheiro de quarto é realizada pela Organização, tendo em conta, na medida do possível, os pedidos feitos pelos Concorrentes aquando da inscrição.
  3. Os Concorrentes podem contratar, no momento da inscrição, o alojamento singular (PACK SINGLE), ficando, neste caso, alojados em quarto que utilizam com exclusividade, ao longo de toda a prova. O número de alojamentos singulares é limitado.

O Diretor de Prova tem competência para expulsar Concorrentes que se encontrem em qualquer das seguintes situações:

  1. Estado voluntário ou involuntário de incapacidade, seja ela física ou mental;
  2. Conduta antidesportiva;
  3. Violação do presente Regulamento;
  4. Conduta ilegal;
  5. Desrespeito pelo meio ambiente; e,
  6. Desrespeito grosseiro pela Organização e/ou por outros Concorrentes.
  1. Para efeitos de apuramento das classificações, os tempos são registados e contados em horas, minutos e segundos.
  2. A Organização elabora diariamente duas classificações, uma referente à prestação dos Concorrentes na etapa do dia (Classificação da Etapa), e outra referente à prestação dos Concorrentes no acumulado de todas as etapas cumpridas até esse momento da prova (Classificação Geral).
  3. Em qualquer dos casos a classificação é ordenada do melhor para o pior tempo alcançado - somadas ao tempo obtido pelos Concorrentes as devidas penalizações, se as houver, e deduzidas as devidas bonificações, se as houver, revelando ainda as médias horárias e as diferenças horárias entre Concorrentes.
  4. A Classificação Geral principia pelos Concorrentes que tenham todas as etapas validadas, ordenados pelo menor tempo total pontuado no somatório dessas etapas, considerando para tal também as Classificações Intercalares.
  5. Para os Concorrentes cuja classificação contemple menos etapas validadas, a sua posição na Classificação Geral é ordenada primeiramente pelo número de etapas validadas, seguidamente pelo número de quilómetros totais, e finalmente pelo menor tempo contabilizado em prova.
  6. No final das 8 etapas são apurados os Tempos Finais de cada Concorrente e elaborada a Classificação Final, nos mesmos moldes dos números anteriores.
  7. Todas as reclamações devem ser apresentadas, por escrito, até 60 minutos depois da afixação dos resultados.
  1. Aos 5 primeiros atletas da Classificação Final, apurados nos termos do artigo anterior, são atribuídos os seguintes prémios monetários:
    1. 1.º - 2.350 Euros
    2. 2.º - 850 Euros
    3. 3.º - 400 Euros
    4. 4.º - 200 Euros
    5. 5.º - 100 Euros
  2. Sem prejuízo do número anterior, só há atribuição de prémios monetários, se aquando do início da prova estiverem a participar mais de 40 Concorrentes.
  3. Todos os participantes recebem:
    1. Uma T-shirt alusiva ao evento; e,
    2. Um saco de transporte da “Transportugal”.
  4. Os Concorrentes que não tenham sido excluídos recebem um diploma com a sua classificação.
  5. Os Concorrentes que tenham todas as etapas da prova validadas recebem ainda uma camisola com a inscrição “Transportugal Finisher”.

As hipóteses não previstas neste instrumento, bem como as dúvidas interpretativas que possam emergir do mesmo são integradas e resolvidas pela Organização, com respeito pelos princípios da igualdade e imparcialidade.


Imprimir